Maria Eduarda Medeiros

Acredito que nenhum corredor de rua começa a correr pensando em realizar uma Maratona.




Tudo começou em 2013, distâncias curtas. 5k eram intermináveis e longos.
Depois fui mordida pelo mosquito da endorfina, aí já era. Essa distância já não era mais o suficiente.

Avancei para 10k, 15k, até chegar na loucura de almejar uma meia maratona.
Isso foi em 2016, na Asics Golden Run Rio de Janeiro. Foram quase 30 dias revivendo aquela prova, sentindo tudo que vivi. A revivo até hoje. Foi um dia mágico. E naquele dia, por estar sob o efeito da endorfina, após passar pelo pórtico já estava eu idealizando uma Maratona (calma, Duda!).
Acho que meus amigos também possuem grande contribuição pra isso, pois eles que plantaram essa sementinha em minha mente.


Assim que abriram as inscrições, e por adorar desafios, fiz minha inscrição na Maratona do Rio 2017.

Como alguém com apenas um meia no currículo já pula para uma distância como essa?!
Pequena gafanhoto achando que seria tão "fácil" quanto uma meia. Não, 42k tem que haver respeito. É uma distância super desafiadora. Não digo isso pelo dia da prova, que é um dia espetacular e super mágico, mas falo pelos longos e exaustivos treinos. Pés com bolhas, unhas perdidas, uma dor aqui, uma lesãozinha ali. Treino, treino, treino e mais treino nos finais de semana.
800k rodados em 5 meses de preparo. Não, não é fácil. Você abdica de muita coisa por um sonho aventureiro que nem todo mundo irá entender ou contribuir.
Correr 42k? Ah, para! Acordar 5 da manhã para fazer longão no sábado? Ah, para! Vamos sair sexta/sábado a noite! Ah, dorme até mais tarde, hoje é sábado/domingo!

Confesso, existiram dias que cheguei a pensar que não seria possível. Que os longões eram intermináveis. Mas ainda bem que o desejo de alcançar meu objetivo era bem maior do que a vontade de desistir. Não, não foi fácil. Não se iluda. Exigiu muita luta interna. E pelo tamanho da minha satisfação e alegria, não conseguiria mensurar a dor da frustração se eu tivesse desistido desse sonho.

Dia 18 de junho, o grande de dia. Um dos dias mais incríveis da minha vida, difícil tentar descrever. Penso que todos deveriam viver uma Maratona na vida. A pessoa que vos escreve só queria terminar 5k, quando percebeu já havia se tornado uma Maratonista.

Que venham novos desafios!

Maria Eduarda Medeiros @runduda




Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.